Categorias
1º J. E. BAKU '15

1º J. E. BAKU ’15 – dia 10

Duas mãos cheias de dedos são o número de dias que hoje se completa nesta nossa missão a Baku para representar Portugal nos 1ºs Jogos Europeus realizados.

Ao décimo dia a ansiada e desejada final do exercício de equilíbrio chegou. Pequeno almoço às 9.30 e visita ao pavilhão para ver se havia novidades sobre a final de dinâmico onde poderíamos ter de entrar, dado que somos o 1º dos reservas. Com isto, acabamos por nos sentar e ver a final do Diogo no trampolim individual e da Ana e Beatriz em trampolim feminino sincronizado. Momento de infortúnio para o Diogo que interrompeu a sua série ao 3º salto e de alegria pela medalha de Bronze conquistada pela dupla feminina. Tudo com algum sofrimento à mistura, pois só na última das séries ficou selada a medalha para as cores lusas, com a série interrompida da dupla da Ucrânia.

Corrida até à Aldeia para buscar tudo o necessário e para tratar da alimentação, e em menos de um piscar de olhos já estávamos de volta ao Pavilhão para ver como estava a situação do dinâmico, pois até à última da hora poderíamos ter de entrar em substituição do par búlgaro, cujo base de encontrava lesionado há 2 dias. Mas não, à hora marcada os búlgaros chegaram e sem aparentes limitações físicas para iniciar o aquecimento. Tudo confirmado foi tempo para os últimos ajustes e de assistir à final de dinâmico de pares, ganho com grande vantagem pelo par russo, cujo a dificuldade do exercício é tanta que quase se pode dar ao luxo de ter pequenas falhas…que ainda por cima não tem.

Hora e meia depois é a nossa vez. Agora sim é para aquecer a sério e vamos fazendo esse processo com calma, que o tempo de aquecimento é mais que suficiente para aquecer 1 só exercício. Pelo meio a visita de um “velho” amigo do Eurogym de Coimbra, o Alberto Claudino que enquanto observador da UEG nos vem dar um abraço de boa sorte. Chegada a hora de transitar para a nave principal, lá vamos nós pela última vez destes Jogos a caminho do recinto. Ambiente descontraído entre os finalistas, claramente a anunciar um fim de festa que se adivinha. Algumas medalhas já circulam ao peito dos finalistas que acabaram de actuar para a primeira sessão. Parabéns a este e àquele e desejos de boa sorte mútua entre os concorrentes. Na hall de aquecimento, algum alarido face à queda de uma voluntária com uma crise de saúde, e também algum atraso na competição para despachar as últimas cerimónias de medalhas.

Finalmente é hora, chamam-nos e lá vamos nós corredor fora de mochilas na mão para o local de entrada para a nossa última exibição. Ainda não o fizemos e já sentimos saudades deste fantástico palco aqui montado. O par da casa já fez o seu exercício e entramos para o praticável à chamado dos nomes João Martins/Inês Germano com as múltiplas câmaras de televisão a correrem e rodarem à nossa frente para apanharem todos os ângulos. Silêncio, música e aqui vamos nós para mais 2’30 de emoção. Tudo corre bem e conforme planeado e saímos felizes para os sofás brancos do Kiss & Cry. O facto de fazermos em 2º lugar é bom e deixa-nos sem pressão. A nota mostra uma ligeira melhoria em relação às das preliminares, 26,920 apresar dos abanicos numa das figuras. O quinto lugar já está assegurado e resta esperar pela concorrência forte que falta entrar.

Esperamos sentados lá dentro com os competidores que se nos vão juntando. Todos cumprem com rigor o plano traçado e no final temos mais do mesmo. Rússia ganha, Bélgica ocupa o 2º lugar do pódio que é fechado pelos Ingleses. Entre eles e nós, a Ucrânia garante o 4º lugar. O resultado é positivo face ao facto de termos menor dificuldade que os restantes pares, e mostra que as diferenças são pequenas no que toca a execução técnica e artística.

No regresso à bancada, o abraço geral de uma comitiva portuguesa que nos foi apoiar. Muitas fotos, alguns autógrafos e comentários para jornais e depois da final de trios regressamos à Aldeia para jantar e cantar os parabéns ao Alan do futebol de praia. A competição acabou!

É hora de descansar a gozar este fim de festa para a ginástica que assim termina as suas competições nos Jogos Europeus. Para a acrobática ficam os 5ºs lugares alcançados no All-around e na final de Equilíbrio pelo par misto Academista, e o 7º lugar do All-around par ao trio do Acro Clube da Maia. Qualquer destes resultados dignos da representação da ginástica acrobática nacional e acima de tudo a representarem 7 esquemas sem qualquer falha por parte da delegação portuguesa.

Amanhã será dia de passear na cidade, tirar fotos e fazer pequenas compras, que na noite seguinte será o regresso. Para nós o evento está a chegar ao fim, mas para outros colegas nossos está apenas a começar, como vimos hoje pela chegada dos judocas nacionais.

Foram momentos inesquecíveis que ficaram na história da Federação, do clube e de cada um de nós, e dos quais certamente nos orgulharemos no futuro. Não queremos deixar de agradecer a todos quantos acompanharam e apoiaram esta nossa Missão a Baku, desde os que tornaram possível o apuramento de Portugal para o evento (obrigado Mariana/Alfredo), os que criaram as condições de treino para que isto fosse possível, os que ajudaram e garantiram a recuperação das lesões próprias do treino e da competição, muitos nomes anónimos que fizeram a diferença e claro está de todos quantos nos fizeram chegar por muitas vias os seus apoios.

Voltaremos ao Vosso contacto no regresso ao nosso País!!!

FOTOS

      

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *